sábado, 24 de outubro de 2009

domingo, 4 de outubro de 2009

O Samurai do Tejo




Menina dos meus olhos e alegrias saudosas
Que bem que o teu nome soa
Nenhuma beleza se compara a ti, nem cravos lirios ou rosas
A tua liberdade sem asas que ao acaso voa
Pelas nuvens e estrelas mais caprichosas
E a tua distância que tanto me magoa
Não sei se será pela luz de que gozas
Que irrompe pelo Tejo qual canoa
Ou de tuas ingremes colinas tão airosas
Mas é em ti que me inspiro, de Belém a Madragoa
E para ti minha amada, escrevo estas prosas
Lisboa !


Marcos Sobral
14/10/2006