quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Dejá Vu




E assim o tempo vai passando
Lentamente a uma velocidade louca
Desnorteante e vagando
Como um beijo da sua boca

Desejos compulsivos
Bilionário de sonhos eternos
Impulsos lascivos
Confesso a Lisboa os meus invernos


Marcos Sobral