sexta-feira, 14 de março de 2014

Manhã Submersa



O frio aperta na manhã submersa
Entre a neblina com o sol a nascer
Contando os passos para se entreter
Lá vai ele, ainda a sonhar

Não sabe o nome mas conhece o cheiro
Quando ela entrar no apeadeiro
Talvez mais tarde quando a escola acabar
Mesmo à saída, a bola a girar
Ela apareça e ele consiga falar

A rapariga saiu da escola
Viu os rapazes a jogar à bola
Passou por eles, houve um que sorriu
Não ligou, e a rua subiu

Só mais tarde, já ao deitar
Olhou o espelho onde foi encontrar
O amor escondido e então sorriu

Xutos & Pontapés

Sem comentários: